Cuspindo palavras.

Alegria, melancolia e tudo que vier na minha cabeça!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Ponto e vírgula;

E então Raimundo*, ontem eu tive a ousadia de mandar o link do blog para ele, que demonstro interesse quando eu contei o que estava fazendo para passar o tempo. Não foi propositalmente, mas o post falava sobre Joaquim, conheci Joaquim uns 6 meses depois de conhecer Raimundo que até então eu tinha um pequeno laço de amizade. Alguns anos depois entre idas e vindas do meu relacionamento complicado com Joaquim, reencontrei Raimundo e naquele momento ele tinha praticamente "tudo o que eu procurava" - a razão pelo qual o termo "tudo que eu procurava" estar entre aspas é que talvez não exista alguém que caiba nos meus sonhos, uma explicação à La Cazuza, mas sobre isso eu falo depois - enfim, eu e Raimundo nos tornamos grandes amigos, ele tinha todas as caracterizas que buscava no momento - já leram aquele texto sobre pessoas que aparecem na nossas vidas para uma razão, uma estação e pela vida inteira? - Então cheguei a conclusão que ele entrou na minha vida por uma razão, talvez para suprir a falta de José, ou talvez de Caio, de Tício, quem sabe até de Joaquim. Que mania feia essa da gente que achar que uma pessoa pode substituir a outra, mas não é uma coisa que eu gostaria de tratar agora, outra mania feia é essa minha de parênteses subliminares no meio do texto, juro que vou tentar evitá-los. Voltando a Raimundo e razão pelo qual ele entrou na minha vida ... Eu precisava dele lá, e lá estava ele - explicação que eu encontrei no texto sobre razão, estação e blá-blá-blá - eu adoro os hífens não sei por que acabaram com eles "-" e a maneira que eu encontrei para disfarças os tais parênteses. Ok, já chega mas tentar evitá-los está se tornando uma tarefa bastante difícil. Acontece o que nossa grande amizade e a importante presença dele no meu dia-a-dia me fez confundir alguns sentimentos e futuramente magoá-lo de maneira que poderiam ter sido evitadas - sabe aquele papo de voltar atrás? Se eu pudesse voltar atrás e poupar ele de algumas situações que eu o fiz passar, mas que só tive consciência do meu erro um tempo depois, também por aquele papo de que a gente aprende com os erros blá-blá-blá de novo- e Raimundo se manteve presente naquele curto período, mas não menos importante da minha vida e foi incansável a vontade que ele tinha de voltar para ela, perdi as contas de quantas vezes ele tentou uma reaproximação e posso até imaginas quantas ligações ele deixou de fazer acreditando que aquele seria um ponto final . E ontem o post que o Raimundo leu falava sobre meu ponto final na historia com Joaquim. Ironia do destino eu aqui escrevendo o meu ponto final com Joaquim e Raimundo sofrendo tanto pra escrever o dele, o problema é que o ponto final na historia de "Maria e Raimundo", já foi colocado no passado, por Maria com a consciência de houvesses palavras a mais depois deles seriam para contar da amizade que voltou a nascer. Com muito mais facilidade do que na minha historia com Joaquim. Não posso dizer quanto tempo vou demorar pra começar a escrever essa amizade com Joaquim, mas com Raimundo já tenho lápis é papel na mão, e eu adoro vírgulas.

*Raimundo é mais um nome fictício de uma historia real e Maria, no caso sou eu.


O link pro texto que me referi acima é esse aquiVocê é uma "Razão", uma "Estação" ou uma "Vida Inteira?"
 Ele me mando um video que achei lindo e faço questão de complatilhar.

8 comentários:

  1. Relacionamentos, quais quer que sejam, são complexas por natureza. Confundimos respeito com amor e amizade com paixão e sobressair a elas é algo difícil para todos, principalmente tentar expressar algo sem querer magoar.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, querida.
    Os relacionamentos geralmente são dolorosos, principalmente quando a paixão vem depois da amizade pura.
    Espero que um dia possamos cantar ''olhos nos olhos'' e sorrir de lado, vendo o romance como algo que nos proporcionou um maior crescimento.

    ResponderExcluir
  3. muito complexo para a minha cabecinha. >.<

    brincadeira. putz, lá vou eu fazendo brincadeira com o sentimento dos outros. desculpa, mania ruim que tento evitar. de qualquer forma, o que eu ia dizer é que gostei do texto. sentimental, engraçado e estimulante.

    não sou bom com conselhos, mas eu sei que bons amigos raramente se tornam bons namorados. ;x

    ResponderExcluir
  4. Acho que nada passa nem se esquece, só um dia tentamos parar de pensar naquilo,isso vai estar no seu coração para sempre, mas algo sempre recompensa

    ResponderExcluir
  5. Que máximo!! Você e seus textos de nomes e codinomes!
    Muito bom, to gostando de ler seus textos!
    um grande abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Interessante o comentário do Vinícius. Realmente não esquecemos nada. Mas com o tempo, apesar de lembrar a pontadinha no coração se cala.
    Amei seu blog!
    Dá uma passadinha no meu, é novo! Dá uma forcinha.
    bjus

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. esquecer é difícil ainda + pra pessoas como eu q tem boa memória...tentar ñ pensar tbm é difícil + sei lá neah...
    meus comentários nunca são uteis¬¬
    sempre eu...postei errado o comentário anterior sou muito lesada¬¬
    atoron seu blog =)

    ResponderExcluir